Usar lâmpadas de led em hospitais

É seguro usar lâmpadas de led em hospitais

A resposta ao título da pergunta é: Sim! Além de serem mais eficientes, estas iluminações com tecnologia de ponta são controláveis para o conforto de pacientes e não possui substâncias tóxicas na composição.

Led e ressonância magnética

Um método de controle de iluminação hospitalar com led é o uso de sensores de ocupação.

Esses sensores economizam dinheiro além daqueles que resultam do consumo reduzido de energia, desde que compostos por led. Os sensores prolongam ainda mais a vida útil das lâmpadas e dos acessórios, desligando-os quando não houver ninguém na área.

Esses sensores são mais adequados para áreas de baixo tráfego.

Vida útil e temperatura de funcionamento

As luzes led são projetadas para durar aproximadamente de 27 a 45 vezes mais que as lâmpadas incandescentes e seis vezes além do que as lâmpadas fluorescentes e compactas.

Em uma grande unidade de saúde do hospital o tempo é essencial. Cada minuto de inatividade das lâmpadas queimadas significa menos produtividade e mais custos de manutenção.

Por exemplo, lâmpadas queimadas nas salas de ressonância magnética e tomografia computadorizada podem custar milhares de reais a um hospital por cada hora perdida.

Os custos não se limitam apenas a pagar os trabalhadores de manutenção para trocar as lâmpadas e pagar médicos e técnicos. O tempo de inatividade nessas salas também resulta em perda de produtividade e atrasos no diagnóstico do paciente.

Quando a iluminação do hospital se apaga, muitas coisas podem ser afetadas. Cirurgiões e enfermeiros precisam de luz adequada para cuidar adequadamente dos pacientes.

Quando as luzes se apagam se abre a porta para erros, coloca os pacientes em risco e desperdiça um tempo valioso.

A iluminação led hospitalar não apenas reduz o tempo de inatividade e os custos de manutenção, mas também diminui drasticamente os custos de energia.

Outro benefício do uso de luzes led em hospitais é a emissão mínima de calor. Nas salas de cirurgia os cirurgiões e enfermeiros devem se sentir confortáveis.

Trabalhar sob luzes quentes aumenta o risco de erros durante uma operação e pode secar o tecido exposto do paciente.

Com toda a pesquisa realizada sobre iluminação hospitalar, os benefícios e vantagens das luzes led, é fácil ver o porquê de leds serem a melhor escolha para instalações de saúde.

Leds não apenas fornecem as temperaturas, os índices de reprodução de cores e as opções de controle que os hospitais precisam realmente, mas também economizam dinheiro e causam menos interrupções no atendimento ao paciente.

Apenas um hospital que muda para luzes led pode ter um impacto positivo na saúde do paciente, na satisfação da equipe e no meio ambiente.

Iluminação hospitalar com led

Por que a iluminação hospitalar com led é melhor?

As luzes fluorescentes contêm mercúrio que pode ser liberado se uma lâmpada quebrar. O mercúrio é tóxico e prejudicial se absorvido pela pele ou inalado.

Para reduzir o risco de danos há uma lista de procedimentos de limpeza, como deixar todos sair da sala, abrir portas ou janelas, desligar os sistemas de aquecimento e ar condicionado ou outras instruções específicas.

As lâmpadas fluorescentes e incandescentes também emitem doses baixas de radiação UV que podem danificar não apenas os materiais da instalação, mas também a pele e os olhos.

A exposição crônica a UV em baixas doses pode causar danos cumulativos à pele.

A exposição continuada aos raios UV também é prejudicial para os olhos. De acordo com um estudo de Harvard, a iluminação fluorescente aumenta as doenças oculares relacionadas em até 12%.

As possibilidades de lesões oculares e cutâneas são fatores importantes a serem considerados para uma instalação cujo objetivo é curar.

Uma solução no fim do túnel

Os leds não contêm mercúrio, ao menos que sejam especificamente lâmpadas UV. Também emitem muito pouca ou nenhuma radiação.

Somente esses fatores os tornam uma escolha melhor para os serviços de saúde. Sem mencionar que, ao contrário das lâmpadas fluorescentes, as luzes led não piscam ou emitem picos de cores.

Flutuações de cores e tremulação podem causar efeitos negativos, como dores de cabeça e tontura. Quando usadas para iluminação hospitalar as lâmpadas e os acessórios de led melhoram a saúde geral e eliminam a possibilidade de riscos adicionais à saúde decorrentes de lâmpadas fluorescentes e incandescentes.

CRI e desempenho do pessoal

Ver as cores como realmente são é fundamental nos ambientes de assistência médica.

A reprodução imprecisa de cores da pele ou do sangue pode levar a um diagnóstico incorreto ou falha na visualização de sinais de infecção ou icterícia.

As luzes led com altos índices de reprodução de cores podem garantir que as cores sejam vistas de forma precisa.

Mais controle

Lâmpadas led reguláveis proporcionam uma iluminação suave ao quarto do paciente.

Muitas luzes led são reguláveis, o que as torna ótimas para ambientes hospitalares e para as necessidades individuais dos pacientes. As luzes rgb de mudança de cor também estão disponíveis, bem como produtos de temperatura de cor variável.

Esses tipos de luzes podem ser úteis nas salas de ressonância magnética ou tomografia computadorizada para acalmar os pacientes, criando uma atmosfera relaxante ou dando a eles algo para se concentrar.

As temperaturas das cores têm algum controle sobre o funcionamento nos corpos. Ao controlar o sistema circadiano, a luz – natural e artificial – afeta muitos resultados de saúde entre pacientes e funcionários em hospitais, como depressão, sono, ritmos circadianos de atividade de repouso, bem como o tempo de permanência no hospital.

Enfim, estes pontos revelados no texto ajudam de forma direta a qualificar a iluminação hospitalar.

Vantagens das lâmpadas de led

Conheça as vantagens das lâmpadas de led para hospitais e centros de saúde

Desde que nos lembramos, os hospitais e as instalações de saúde usam luminárias incandescentes e fluorescentes para iluminar quartos de pacientes, consultórios, corredores, banheiros, etc.

Essas luzes foram usadas por causa de facilidade na produção, pelos baixos custos e pela disponibilidade.

O que os gerentes das instalações hospitalares não conseguem perceber é que as luzes incandescentes e fluorescentes não são confiáveis ​​e podem ter muitos efeitos negativos nos pacientes.

Quando se trata de iluminação hospitalar, as lâmpadas e luminárias led são as melhores alternativas por vários motivos. Algumas destas motivações você verá adiante:

Temperaturas de cores e ritmo circadiano

As luzes led estão disponíveis em vários tons de branco. Essas tonalidades são chamadas de temperatura de cor correlacionada de uma lâmpada, medida em Kelvin, que é semelhante a graus em Celsius.

Diferentes temperaturas na escala kelvin representam cores diferentes. Por exemplo:

  • De 2.000k a até 3.500k: Laranja e amarelo;
  • De 3.500k a até 5.000k: Branco
  • De 5.100k a até 20000k: Branco azulado.

Durante o dia, a luz muda de uma cor branca quente ao amanhecer para um branco natural e depois ao branco frio à tarde, de volta para branco natural e, eventualmente, para uma cor branca ultra quente ao pôr do sol.

Nossos corpos estão acostumados a esse ciclo de luz. Luzes artificiais que se desviam do ciclo de iluminação natural podem prejudicar nossos ritmos circadianos.

Diferentes tipos de luz desencadeiam efeitos fisiológicos. A azul ou branca, semelhante a uma iluminação brilhante do meio-dia, suprime a melatonina e aumenta a serotonina; essa luz é ótima para atividades.

Por outro lado, a luz vermelha / laranja desencadeia melatonina na preparação para dormir. Se tudo estiver em equilíbrio, o corpo gerará dopamina, serotonina, cortisol e melatonina nas quantidades certas, na hora correta do dia.

Nos hospitais e centros de saúde é importante que os pacientes e a equipe tenham acesso à luz branca fria, semelhante à iluminação do dia. Vários estudos documentaram a importância da luz na redução da depressão, diminuição da fadiga, melhoria da atenção, modulação dos ritmos circadianos e tratamento de condições em bebês.

Além disso, a presença de janelas no local de trabalho e o acesso à luz do dia foram associados a uma maior satisfação com o ambiente de trabalho.

As janelas são o melhor método para acessar a luz do dia, mas as luzes brancas e frias de led – junto com as temperaturas de cor certas nos momentos certos – podem ter o mesmo efeito no corpo.

Temperaturas de cores mais quentes levam à liberação de melatonina, que causa sonolência. Isso é apropriado durante o horário de dormir, mas causa problemas para quem precisa ficar acordado, como enfermeiros e médicos durante a noite.

A introdução de luz branca natural ou fria em corredores, salas de cirurgia e postos de enfermagem pode ajudar a equipe do hospital, especialmente os trabalhadores noturnos, a se sentirem mais alertas e energéticos.

Benefícios da iluminação led

Quais são os benefícios da iluminação led?

A iluminação led é de longe a maneira de iluminar mais eficiente em termos de energia, limpa e ecológica. Esta tecnologia vem com uma infinidade de benefícios surpreendentes. Conheça as principais vantagens a seguir.

Vida longa da iluminação led

A vida útil longa se destaca como o benefício número um das luzes led.

As lâmpadas e diodos de led têm uma excelente expectativa de tempo de vida operacional de até 105 horas. São 11 anos de operação contínua ou 22 anos de 50% de operação.

Se você deixar a luminária de led ligada por oito horas por dia levará cerca de 21 anos para substituir a lâmpada.

Os leds são diferentes da iluminação padrão: Eles realmente não se apagam e param de funcionar como lâmpadas comuns.

Além disso, os diodos de iluminação emitem níveis mais baixos de saída por um período muito longo e ficam menos brilhantes.

Eficiência energética das lâmpadas de led

É a maneira mais eficiente de iluminação atual, com uma eficiência energética estimada de 82% a 92% quando comparada à iluminação tradicional e às lâmpadas convencionais.

Isso significa que cerca de 85% da energia elétrica é convertida em luz, enquanto 15% são perdidos e convertidos em outras formas de energia, como o calor, por exemplo.

Qualidade durável na tecnologia led

Os leds são extremamente duráveis ​​e construídos com componentes resistentes, capazes de suportar até as condições mais adversas.

Como as luzes led são resistentes a choques, vibrações e impactos extremos, elas possuem excelentes sistemas de iluminação externa para condições adversas e exposição ao clima, vento, chuva ou mesmo vandalismo externo, exposição pública relacionada ao tráfego e locais de construção ou fabricação.

Flexibilidade de design

Os leds podem ser combinados de qualquer forma para produzir iluminação altamente eficiente.

Há inclusive produtos escurecidos, resultando em um controle dinâmico da luz, cor e distribuição. Sistemas bem projetados podem obter efeitos de iluminação fantásticos, não apenas para os olhos, mas também ao humor e à mente.

Operacional em temperaturas frias ou quentes

Os leds são ideais para operação sob configurações de temperatura externa fria e baixa. Para lâmpadas fluorescentes, baixas temperaturas podem afetar a operação e apresentar um desafio, mas a iluminação também funciona bem tanto em ambientes frios como nos ambientes externos de inverno, nas salas de freezer, entre outros locais.

Dispersão de luz é uma excelente vantagem dos leds

O led foi projetado para focalizar sua luz e pode ser direcionado ao local específico sem o uso de um refletor externo, atingindo uma eficiência de aplicação mais alta que a iluminação convencional.

Os sistemas de iluminação led bem-projetados são capazes de fornecer luz com mais eficiência ao local desejado.

Baixa voltagem

Uma fonte de alimentação de baixa tensão é suficiente para a iluminação do led.

Isso facilita o uso da iluminação led também em ambientes externos, por conexão a uma fonte externa de energia solar, uma grande vantagem quando se trata de usar a tecnologia led em áreas remotas ou rurais.

Enfim, estas são as vantagens da iluminação de led. Fique por dentro do nosso blog para descobrir mais novidades sobre esta tecnologia eficiente.

Como parar de suar no corpo todo

Como parar de suar no corpo todo?

A transpiração é uma parte natural do ser humano, mas às vezes você só quer que ela pare em principal quando acontece exageradamente.

Talvez você tenha estragado as roupas por ficarem encharcadas em um dia quente ou esteja simplesmente desconfortável com a umidade que sai do seu corpo – nós entendemos.

Suar não significa que você está nojento, fora de forma ou qualquer outro estereótipo negativo. Enquanto algumas pessoas suam mais quando estão, digamos, nervosas ou mentindo, este não é um sinal revelador.

Na verdade, algumas pessoas apenas sofrem de transpiração excessiva (também conhecida como hiperidrose) devido a fatores externos.

Veja: A solução para suor excessivo.

Dicas para parar de suar com exagero

Primeiro de tudo, você provavelmente está usando seu antitranspirante errado.

A maneira mais eficaz de usar antitranspirante, qualquer que seja a marca, é aplicá-lo imediatamente antes de ir para a cama para que ele tenha tempo de fazer o trabalho enquanto você estiver inativo. Você também pode colocá-lo de manhã.

Os antitranspirantes realmente formam tampões superficiais nos poros da pele, onde as glândulas sudoríparas se abrem. Ou seja, o suor está fisicamente impedido de sair.

Portanto, se o pensamento de seu antitranspirante entupindo seus poros o assusta um pouco você realmente não tem nada com que se preocupar – suas axilas não estarão cheias de suor que está tentando escapar.

Além das marcas de farmácia comuns você pode aumentar a eficácia de antitranspirantes mais fortes com receita médica do seu dermatologista. Existem também algumas soluções clínicas para manter a transpiração sob controle.

Botox adianta ou não?

As injeções de botox em axilas, mãos, pés ou ao longo da linha do cabelo bloqueiam os sinais nervosos e evitam a superprodução das glândulas sudoríparas.

Há também procedimentos que utilizam energia térmica para eliminar as glândulas sudoríparas e o odor das cavidades, para que você pare de produzir suor. Essas são opções duradouras, mas também muito caras.

Medidas mais práticas

Vale a pena também beber bebidas frias para manter a temperatura interna em baixa, carregar um ventilador portátil, proteger a pele da luz direta do sol e usar tecidos fluidos e em camadas, como algodão ou linho.

Embora a transpiração excessiva, ou hiperidrose, não seja super comum, ela afeta 5% dos brasileiros.

É difícil quantificar a quantidade de transpiração em excesso, mas vale a pena conversar com um médico sobre hiperidrose se chegar a um ponto em que isso atrapalhe o seu dia-a-dia.

Se isso está afetando sua vida e seu bem-estar mental é hora de conversar com um médico e ver qual poderia ser a melhor coisa para ajudar.

Por fim e não menos importante existe a possibilidade de usar antiperspirante nas axilas, nos pés e mãos. Esta produção funciona como uma espécie de bloqueador capaz de bloquear suores ou odores ruins. Vale a pena usar este produto em qualquer lugar, desde práticas de esportes até antes de uma importante reunião de negócio.

Como parar a transpiração nas axilas

Como parar a transpiração nas axilas?

O suor nas axilas pode ser desagradável, para dizer o mínimo. Ter que se preocupar constantemente com manchas de suor visíveis pode afetar o que você veste, para onde vai e como gosta de sua vida.

Para muitos, no entanto, o suor nas axilas é uma realidade com a qual eles precisam lidar diariamente. Pessoas que sofrem de transpiração grave nas axilas podem achar isso limitante na vida e, para muitos, os remédios caseiros simplesmente não funcionam.

Aqui vamos explorar maneiras pelas quais você pode parar de suar nas axilas. Todas as práticas são simples de serem executadas com a compra dos produtos corretos.

1: Use antitranspirante clínico

Antitranspirante com força clínica pode ser sua resposta para transpiração excessiva nas axilas. A maioria dos antitranspirantes comprados em lojas não funciona com transpiração excessiva nas axilas, portanto, procure produtos com teor de cloreto de alumínio de 12% ou mais.

Isso pode ajudar a prevenir a hiperidrose. Embora isso pare de suar nas axilas em muitos casos você deve estar ciente de que a irritação pode ocorrer, a não ser que você compre uma marca de antiperspirante (antitranspirante) mais confiável.

Muitos atletas ou praticantes de exercícios em academia sempre usam antiperspirante para bloquear o suor nas axilas e evitar que a camiseta fique ensopada durante a prática dos exercícios físicos.

2: Vigie o que você come

Muitos alimentos também podem desencadear o suor, podendo piorar a ocorrência do suor nas axilas e o odor liberado. Alimentos condimentados, em particular, podem promover a transpiração, mas café e outros alimentos e bebidas com cafeína também podem gerar suor.

Uma maneira de ajudar a evitar isso é controlar sua ingestão de alimentos, mas tal ato limitará os alimentos e bebidas que você pode consumir.

3: Promover a transpiração regular

Fazer exercícios regularmente e liberar endorfinas pode ajudar seu corpo a aprender a suar mais ao natural. Após o exercício, você ficará mais relaxado e menos propenso a apresentar respostas que podem causar a transpiração excessiva.

Para ajudar a parar a transpiração das axilas dessa maneira você precisará fazer cerca de 30 minutos de exercício durante cinco dias de cada semana.

4: Creme antitranspirante

O creme antitranspirante é um tratamento que reduz com segurança a transpiração das axilas, atacando as glândulas sudoríparas e fazendo com que elas fechem permanentemente.

Este tratamento terá como alvo destruir as glândulas sudoríparas para que elas nunca voltem, interrompendo a transpiração das axilas.

Para aqueles que lutam com a transpiração excessiva esse pode ser um tratamento para mudar a vida, que promove a autoconfiança. O problema é que pode custar mais caro do que a compra de simples antiperspirantes.

Procure um médico caso você coloque em prática todas indicações do texto e mesmo assim não consiga resultados favoráveis com a secura da pele. Fique de olho em outras novidades do blog para manter sua saúde e o bem-estar no auge.

O que é sudorese patológica?

O que é sudorese patológica?

Hiperidrose (também chamada de sudorese patológica): A transpiração que acontece de forma exagerada. No entanto, do ponto de vista médico, nem todos que suam profundamente sofrem de hiperidrose.

Na prática a sudorese patológica não é definida pela quantidade de suor, mas pelo mau funcionamento da transpiração, que vai além da regulação do calor que seria necessária para o corpo não superaquecer.

As classificações da sudorese

A hiperidrose pode ser classificada de acordo com diferentes aspectos. Por um lado, é feita uma distinção entre hiperidrose primária e secundária:

Hiperidrose primária

Também chamada de hiperidrose essencial ou idiopática. Nenhuma doença subjacente ou causa externa para o aumento da transpiração pode ser encontrada aqui.

A hiperidrose primária é muito mais comum que a secundária. Geralmente começa na puberdade e dura a vida toda. O aumento da transpiração é frequentemente desencadeado por excitação, nervosismo e outras formas de tensão mental.

Hiperidrose secundária (sudorese patológica)

Aqui está o sintoma de transpiração excessiva de uma doença. Os gatilhos incluem:

  • Infecções (gripe, malária etc.);
  • Tumores (leucemia, câncer de glândula linfática, etc.);
  • Doenças metabólicas (por exemplo, diabetes);
  • Distúrbios hormonais (como hipertireoidismo ou menopausa);
  • Doenças neurológicas (como a doença de Parkinson).

Em contraste com a hiperidrose primária às vezes ocorrem suores noturnos com hiperidrose secundária.

Por outro lado, a hiperidrose pode ser classificada de acordo com o local onde o corpo gera mais suor: As pessoas que suam excessivamente em todo o corpo sofrem de hiperidrose generalizada.

Isso é particularmente notável na hiperidrose secundária, ou seja, quando a transpiração excessiva é causada por uma determinada doença.

Isso contrasta com a hiperidrose focal, na qual a pessoa fica suando muito em certas partes do corpo, por exemplo, nas axilas (hiperidrose axilar) ou mãos (hiperidrose no vácuo). Este é particularmente o caso da hiperidrose primária.

Se a transpiração excessiva for acompanhada de sintomas da doença, como vermelhidão da pele, incluindo sensação de calor (rubor), alteração na percepção de estímulos sensoriais (distúrbios da sensibilidade) ou dor os médicos falam em doença da transpiração (sudorese patológica).

Se a transpiração intensa é acompanhada por um cheiro desagradável (rançoso, mofado, extravagante, etc.), ocorre a chamada bromidrose.

Sudorese: Quando você precisa consultar um médico?

A transpiração é geralmente uma reação do corpo normal relacionada à situação. No entanto, se aconselha a visita de um médico nos seguintes casos:

  • Sudorese profusa repentina sem causa aparente;
  • Suores repentinos que não podem ser explicados;
  • Sudorese súbita e repetida que não pode ser justificada (por exemplo, devido à temperatura ambiente excessiva);
  • Suor com febre acima de 40°C;

Ligue para o médico de emergência imediatamente em caso de:

  • Suor com inquietação e consciência reduzida em diabéticos;
  • Sudorese súbita com tontura e perda de consciência se o desmaio durar mais de um minuto ou se a pessoa desmaiar com frequência;
  • Choque com suor excessivo frio, pele cinzenta e fria, tremores, inquietação, medo, e, possivelmente sonolência ou até perda de consciência.
Causas da sudorese e formas de tratamento

Causas da sudorese e formas de tratamento

A transpiração é um mecanismo de proteção natural para o organismo contra superaquecimento. Quando o corpo se aquece ao sol escaldante, durante atividades físicas extenuantes ou na sauna, o calor corporal excessivo é liberado através do suor.

A maioria das pessoas também começa a suar quando está excitada ou come comida apimentada.

Hiperidrose pode reduzir de forma significativa a qualidade de vida das pessoas afetadas. Portanto é importante conhecer um pouco das causas e formas de tratamento.

Uma visão rápida sobre sudorese

O que é transpiração? Mecanismo regulador do corpo para emitir calor excessivo. Mas também pode ocorrer devido a doenças.

Causas: Esforço físico, nervosismo, menopausa, gravidez, doenças (como hipertireoidismo, doença de Parkinson, hipoglicemia no diabetes e desnutrição), medicação ou abstinência de drogas.

Quando ir ao médico? Se você suar de forma exagerada sem uma causa reconhecível, suores repentinos sem motivo aparente, suores noturnos repetidos ou febre acima de 40°C.

Terapia: Antitranspirantes para uso externo, medicamentos a serem tomados (anti-hidróticos), iontoforese na água da torneira, injeções de botox e intervenções cirúrgicas (por exemplo, remoção das glândulas sudoríparas na axila).

Autoajuda: Roupas permeáveis ​​ao ar, sapatos de couro em vez de calçados feitos de materiais sintéticos, evitar refeições gordurosas e apimentadas, usar antiperspirante, reduzir o excesso de peso ou soluções de plantas medicinais (sálvia, vela de prata etc.) para aplicar nas áreas afetadas por sudorese.

Os tipos de sudorese

A transpiração é principalmente um mecanismo regulador natural do corpo: Usada para liberar excesso de calor corporal, mas também pode ser desencadeada por fatores emocionais como o medo do palco.

De acordo com isso, os especialistas distinguem as seguintes formas da transpiração normal:

Sudorese termo regulatória: Regula um aumento da temperatura corporal (por exemplo, em calor elevado ou após atividade física);

Sudorese emocional (excitação nervosa): A excitação nervosa, a ansiedade do exame, o medo do palco, a raiva ou o medo faz com que a maioria das pessoas tenha suor, principalmente nas palmas das mãos e nas axilas, mas também nas solas dos pés e na testa.

Transpiração gustativa (transpiração do paladar): Mastigar alimentos ácidos ou condimentados e beber álcool estimulam o metabolismo e, portanto, a produção de calor. Isso causa principalmente sudorese na face (testa, bochechas ou lábio superior), com menos frequência no tronco (parte superior do corpo).

A transpiração após a ingestão de alimentos ou bebidas quentes não conta para provar a sudorese no sentido mais restrito, pois a produção de suor não é desencadeada diretamente por um estímulo gustativo.

Além da transpiração “normal” (fisiológica), também há transpiração patológica. As transições entre elas são fluidas porque a quantidade de suor difere de pessoa para pessoa.

Não tenha dúvidas. Se você perceber que o suor excessivo acontece de modo desproporcional com a sua normalidade siga já para um médico o quanto antes. Com a saúde não se brinca!